Highslide for Wordpress Plugin

Nossa Senhora de Guadalupe

nossa_senhora_de_guadalupeNossa Senhora de Guadalupe – 12 de Dezembro

A Virgem de Guadalupe, patrona da América Latina, apareceu ao índio Juan Diego, em 1531, na Cidade do México. Neste período, o México sofria com árdua opressão dos espanhóis, que exploravam suas terras e seu povo. Nossa Senhora, sempre em oposição às injustiças, colocou-se de junto ao povo sofrido, neste caso junto ao povo mexicano.

A doce Mãe Guadalupe, ao aparecer na colina de Tepyac, falando na própria língua do neófito Juan Diego, pediu que fosse ao bispo franciscano D. Juan de Zumárraga, e lhe dissesse que naquele local se erigissem um Santuário em sua honra. Assim, o fez Juan Diego, mas o bispo a fim de averiguar o ocorrido, retardou sua resposta. A Virgem de Guadalupe novamente apareceu a Juan Diego e entre lágrimas suplicou que fosse construído ali tal templo. Sendo assim, D. Juan de Zumárraga pediu ao índio que intercedesse junto a Virgem por um sinal, para assim, comprovar que a ordem advinha da Mãe de Deus.

Passado algum tempo, Juan Diego estava apressadamente, vindo do interior à capital, à procura de um sacerdote para conferir os últimos sacramentos a seu tio, que estava moribundo, foi quando, apareceu-lhe a amável Virgem de Guadalupe. É importante ressaltar que o local onde Juan estava passando, não era o da colina de Tepyac, e seu terreno era estéril, além do inverno que fazia.

A Virgem de Guadalupe, que pela terceira vez lhe aparecia, estendendo-lhe os braços depositou sobre seu manto belíssimas flores que a pouco haviam desabrochado, e dando-lhe a agradável notícia de que seu tio já estava recuperado disse-lhe: “Escute, meu filho, não há nada que temer; não fique preocupado nem assustado; não tema esta doença, nem outro qualquer dissabor ou aflição. Não estou aqui, a seu lado? Eu sou a sua Mãe dadivosa. Não o escolhi para mim e o tomei aos meus cuidados? Que deseja mais do que isto? Não permita que nada o aflija e o perturbe. Quanto à doença de seu tio, ela não é mortal. Eu lhe peço, acredite agora mesmo que ele já está curado… Filho querido, essas rosas são o sinal que você vai levar ao bispo. Diga-lhe em meu nome que, nessas rosas, ele verá minha vontade e a cumprirá. Você é meu embaixador e merece a minha confiança… Quando chegar diante do bispo, descobre a sua “tilma” (manto) e mostre-lhe o que carrega, porém só na presença do bispo. Diga-lhe tudo o que viu e ouviu, nada omitindo…”(1)

O índio Juan Diego, fez o que Nossa Senhora havia pedido. Quando, diante do bispo depositou as rosas, que a Virgem de Guadalupe havia enviado, apareceu-lhes impresso no mando a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, tal qual como havia visto o índio na colina de Tepyac.

Um estudo recente, realizado por cientistas, certificaram detalhes imprescindíveis no manto onde a imagem da Virgem foi impressa. Detalhes tais como: o modo como foi impresso a imagem no manto, sendo que não se encontrou vestígios – traços de mão humana, isto é, tais como técnicas; as cores, os pigmentos analisados no manto são extraídos da própria natureza, ou seja, são extratos naturais; outro detalhe interessante, encontrado na imagem, foi o dos olhos da Virgem, em seus olhos há o reflexo daqueles que estavam na sala onde o manto foi aberto, ou seja, a imagem, assim como, uma foto, apresenta o reflexo do bispo olhando para a Virgem e no fundo a figura de outra pessoa, possivelmente aquele que acompanhava sempre o bispo.

Estes e outros aspectos encontrados no manto de Juan Diego comprovam a veracidade do acontecido. De fato, Nossa Senhora de Guadalupe apareceu primeiramente ao índio Juan Diego e depois em forma de imagem impressa num manto ao bispo que queria um sinal. Eis o sinal. Diante de tal acontecido, D. Zumárraga, imediatamente, mandou que fosse erigido um santuário em honra a Nossa Senhora de Guadalupe.

O tio moribundo, de Juan Diego, ficou curdo e, confirmou ainda que a Mãe Guadalupe, também a ele, havia aparecido. Tais acontecimentos foram tão divulgados que em pouco tempo o número dos devotos a Nossa Senhora de Guadalupe crescia incontavelmente.

A festa de Nossa Senhora de Guadalupe é celebrada no dia 12 de dezembro. E, justamente ela, a Virgem de Guadalupe, nos rememora que nunca estamos sozinhos, pois sempre está conosco. No México, no meio de tanta opressão, na época em que apareceu, Maria marcou sua presença singela e doce, ensinando ao povo que não se deve perder a esperança. Confiemos na Virgem de Guadalupe, pois ela nunca nos deixa desamparados.

 “Nela tudo é milagroso: uma Imagem que provém de flores colhidas num terreno totalmente estéril, no qual só podem crescer espinheiros; uma Imagem estampada numa tela tão rala que, através dele, pode-se enxerga o povo e a nave da Igreja tão facilmente como através de um filó; uma Imagem em nada deteriorada, nem no seu supremo encanto, nem no brilho de suas cores, pelas emanações do lago vizinho que, todavia, corroem a prata, o ouro e o bronze… Deus não agiu assim com nenhuma outra nação.” (Papa Bento XIV)

Oração a Nossa Senhora de Guadalupe

 Ó Deus, que nos destes a santa Virgem Maria para amparara-nos com mãe solícita, concedei aos povos da América Latina, que hoje se alegram com sua proteção, crescer constantemente na fé e alcançar o desejado progresso no caminho da justiça e da paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

(1) MISSAL COTIDIANO. 9.ed.  São Paulo: Paulus, 2009, p. 1829 – 1830.

 

Por Osvaldo Maffei