Highslide for Wordpress Plugin

Nossa Senhora de Lourdes

lourdesNossa Senhora de Lourdes – 11 de Fevereiro

A Imaculada Virgem Maria, apareceu à jovem Marie Bernadette Soubirous, na gruta de Massabielle, situada próximo a Lourdes, na França. Os relatos atestam, que em 1858, a doce Senhora da gruta de Lourdes, apareceu dezoito vezes. Em todas as vezes que esteve diante da jovem Bernadette, a preocupação da Santa era a da conversão dos pecadores. A devoção a Nossa Senhora de Lourdes se difundiu pelo mundo todo e, ainda hoje, muitos féis em peregrinação, recorrem a ela pedindo sua intercessão.

A mensagem que Nossa Senhora anuncia a Bernadette, na gruta, não é diferente das demais mensagens que já, anteriormente, havia sido deixado por ela em outras aparições. Esta mensagem, em Lourdes, consiste no convite à oração e à penitência. Mas, o que significa fazer penitência? Penitência é um ato de reconhecimento pessoal e intransferível. Penitência é reconhecer-se pecador, limitado; reconhecer que cometeu erros e que por isso, irá de boa vontade palmilhar novos rumos e atinas para a sábia humildade de recomeçar tudo de novo. Justamente, é isto que Nossa Senhora pede aos fiéis de seu Filho Jesus. Além da penitência, Maria roga aos seus que rezem, ou seja, ela faz um convite à oração.

A Virgem de Lourdes convida a rezar, pois sabe perfeitamente, que é mediante a oração que entramos em sintonia com vontade do Pai, de Deus. E, quando estamos em sintonia com Deus, estamos repletos de amor e, consequentemente, vivencia-se o puro amor, uma vez que Ele é pleno amor. No entanto, pela condição humana somos limitados a não conseguir tal proeza. Mas, é Deus que opera em nós, se nos penitenciarmos, reconhecermos e colocarmos na disposição livre para com Deus, certamente, a Graça divina possibilitará a vivencia do amor.

“Marie Bernadette Soubirous viu Maria na figura de uma “Senhora revestida de vistes cândida”. “Vestia uma túnica branca cingia com uma faixa azul. “Sobre cada um dos pés tinha uma rosa de ouro”. Trata-se da imagem de uma esposa cândida, pura e adornada, que espera com o coração indiviso o esposo. A figura diz se a Imaculada Conceição, aqui aquela que Deus encheu de graça (cf. Lc 1,28) em tal medida a ponto de torná-la capaz de acolher o Verbo divino e permitir a este assumir nela a figura do homem Novo. Ou, para dizer a mesma coisa com outra imagem proposta pela antífona ao “Benedictus” das Laudes: ela é a aurora esplendorosa da salvação, dela nasceu o sol de justiça, a “luz resplendorosa do alto”, que desceu junto a nós (cf. Lc 1, 78).” [1]

Bernadette foi à porta-voz da Imaculada Conceição; anunciou a todos que carecia fazer penitencia e os convidava a oração. E, muitos fiéis atenderam a convocação da jovem e por isso muitos milagres foram acontecendo mediante a Mãe de Deus. Quanto mais milagres aconteciam em Lourdes, mais fiéis acorriam aos pés da Gruta de Lourdes para pedir a intercessão da Imaculada Conceição.

“Marie Bernadette Soubirous narra que a Senhora lhe ordenou “beber na fonte”. Mas ela, num primeiro momento, não viu fonte alguma e então a aparição lha indicou: “Fui lá e não encontrei senão pouca água barrenta. Aproximei a mão, mas não pude pegar nada. Por isso comecei a cavar e finalmente, consegui um pouco de água; joguei-a fora por três vezes, mas na quarta vez consegui bebê-la”. Para muitas pessoas, Lourdes se tornou um sinal do fato de que o poder salvador do alto (cf. Lc 24,29) agiu eficazmente não só no início da história da Igreja, mas continua a agir ainda hoje. Os nossos contemporâneos, que vêem na figura da Igreja somente “pouco água barrenta”, deveriam perguntar-se se, de fato, se deram ao trabalho de “cavar”. Aquele que, para encontrar a água oculta, se deixa guia pela imagem de Maria, a serva obediente (Lc 1,38), conseguirá a profundidade em que ainda hoje se oculta a “água viva”, que lhe será dada e que fará dele “uma fonte que jorra para a vida eterna” (Jo 4,14; cf. 7,37s).”[2]

Nossa Senhora de Lourdes oferece a jovem Bernadette uma fonte, não a fonte de água que ela cavou para beber, mas sim, a fonte que é a própria “Igreja”. Igreja – “Corpo Místico de Cristo” é desta fonte que jorra os dons de Deus. É a Igreja – Povo de Deus que caminha junto com Maria, Mãe de Deus, e nutre-se na Eucaristia para enfrentar as dificuldades da vida cotidiana. A Igreja, então, é esta fonte que nutre, sustenta e fortalece todo aquele que se aproxima para absorver destas dádivas.

Que Nossa Senhora de Lourdes, nos ensine a orar e a nos penitenciarmos.

 

Oração a Nossa Senhora de Lourdes

 Ó Deus que misericórdia, socorrei a nossa fraqueza para que, ao celebrarmos a Memória da Virgem Imaculada, Mãe de Deus, possamos, por sua intercessão, ressurgir de nossos pecados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 

Por Osvaldo Maffei

 

 



[1] BEINERT, W. (org) O culto a Maria hoje.  3.ed. São Paulo: Paulinas, 1980, p.201.

[2] BEINERT, W. (org) O culto a Maria hoje.  3.ed. São Paulo: Paulinas, 1980, p.204.