Highslide for Wordpress Plugin

Nossa Senhora do Carmo

Nossa Sra do CarmoNossa Senhora do Carmo – 16 de julho

A história do título de Nossa Senhora do Carmo coincide com a história da Ordem dos Carmelitas. Em breves palavras podemos dizer que segundo a tradição, no fim do século XII, europeus foram para a Terra Santa com o objetivo de se aproximarem de Deus. Este grupo, então, fundou uma ordem religiosa que posteriormente recebeu o nome de Carmelitas, devido ao local onde viviam. Nascendo, assim, a Ordem dos Carmelitas que desde sua raiz originária colocou-se sobre a proteção da Virgem Maria.

A palavra “Carmelo” do hebraico ‘Carmo’ denota vinha e ‘elo’ Senhor, juntando teremos vinha do Senhor. O Monte Carmelo localiza-se na Palestina, onde supostamente o profeta Elias e seu sucessor Elizeu fizeram história com Deus (cf. 1Rs 18,20-45).

“Os primeiros eremitas do Monte Carmelo motivaram esta sua concepção remontando a um acontecimento miraculoso da vida do profeta Elias, isto é, interpretando a nuvenzinha que sobre o Monte Carmelo havia trazido ao profeta a promessa da chuva vital (1Rs 18,44), como a prefiguração veterostamentária da portadora da salvação perfeita, a Mãe de Jesus.” (1)

O grupo de eremitas que viviam no do Monto Carmelo, posteriormente chamados de freis (irmãos) carmelitas por volta do ano de 93 d.C. construíram uma pequena capela em honra a Virgem Maria. Alguns relatos antigos contam que neste local havia sido encontrado um ícone de Santa Maria Mãe de Deus, uma pintura que representava Nossa Senhora escura.

No século XIII os frades carmelitas foram expulsos pelos sarracenos, e que por isso os carmelitas se espalharam por todo o Ocidente, fundando muitos conventos e divulgando a devoção a Nossa Senhora do Carmo. Quando os frades carmelitas chegaram à Europa elegeram um superior geral da nova Ordem, Frei Simão Stock.

Estando Frei Simão a interceder a Maria Santíssima, através do terço, pelos demais irmãos que ainda sofriam perseguições dos mulçumanos, o então superior geral no dia 16 de julho de 1251 teve uma visão da Mãe de Deus que estando cercada por anjos, trazia em uma de suas mãos o Menino Deus e na outra o escapulário. Quando Nossa Senhora entregou o escapulário à Frei Simão Stock disse-lhe: “Recebe, meu filho, este escapulário da tua ordem, que será o penhor do privilegio que eu alcancei para ti e para todos os filhos do Carmo. Todo o que morrer com este escapulário será preservado do fogo eterno”. (2)

A respeito do escapulário o papa Pio XII adverte: “Devemos colocar em primeiro lugar a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo – e ainda – escapulário não é ‘carta-branca’ para pecar; é uma ‘lembrança’ para viver de maneira cristã, e assim, alcançar a graça duma boa morte”.

Nossa Senhora do Carmo nos ensina a importância da contemplação como meio para se chegar a Deus. Aqueles primeiro homens se dispuseram subir o Monte Carmelo, e ficando junto a Vinha do Senhor colocar-se na ausculta atenta do Deus todo bondade. Destarte, Maria nos convoca a sermos assim como ela, modelo de vida religiosa, modelo de escuta atenta a Palavra de Deus.

  “Com efeito, a festividade de Nossa Senhora do Carmo é uma memória mariana que convida, sobretudo, a interiorizar a figura de Maria, na medida em que sublinha somente a devoção total da serva humilde, despojada de toda espécie de satisfação própria, como se quisesse corrigir certas formas de piedade mariana muito ligada a determinadas imagens e certos estilos.” (3)

 

Oração a Nossa Senhora do Carmo

 

Venha, ó Deus, em nosso auxílio a gloriosa intercessão de Nossa Senhora do Carmo para que possamos, sob sua proteção subir ao monte que é Cristo. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 

 

Por  Osvaldo Maffei

 

(1) BEINERT, W. (org) O culto a Maria hoje.  3.ed. São Paulo: Paulinas, 1980, p.206.

(2) Cf. em http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php

(3) BEINERT, W. (org) O culto a Maria hoje.  3.ed. São Paulo: Paulinas, 1980, p.207.