Highslide for Wordpress Plugin

Nossa Senhora dos Prazeres

nossasenhoraosprazeresNossa Senhora dos Prazeres ou Nossa Senhora das sete Alegrias – 15 de Agosto

Conta-se que em Portugal, por volta do ano de 1590 uma imagem da Virgem Maria apareceu sobre a fonte de Alcântara, situado na quinta dos condes da ilha. Após este aparecimento, começou a Crescer rumores de que Maria Santíssima atendia as preces das pessoas que iam até a fonte para com fé e devoção beber daquela água.

Os proprietários da fonte, que eram os condes, resolveram levar aquela imagem milagrosa para dentro de casa, porém, para a surpresa de todos a imagem desapareceu. Pouco tempo depois, a mesma imagem apareceu novamente sobre outro poço. Neste poço uma menina sempre ia beber água e certo dia quando se aproximou do poço, encontrou a imagem da Virgem Maria; quando se aproximou da imagem Nossa Senhora se manifestou a ela. O pedido de Maria aquela pequena menina, era de que os habitantes daquele vilarejo construíssem ali uma Igreja.

A Mãe de Deus que havia aparecido para aquela inocente criança disse-lhe que deveria ser invocada como Nossa Senhora dos Prazeres. Todo o acontecido foi relatado por aquela menina a todo o povo, que por sua vez acreditaram na seriedade da pobre criança. Construíram então, a Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, que em pouco tempo muitos devotos vinham pedir a intercessão da Virgem Maria. A fama deste local de graça se espalhou para todos os cantos, justamente por causa dos relatos de curas, conversões e graças alcançadas mediante a intercessão da Mãe.

O fato de Nossa Senhora se manifestar primeiramente perto de uma fonte e depois de um poço nos indica que Maria é essa própria fonte de graça de Deus. Ela que gerou o Salvador; ela que nutriu o Senhor; ela que amparou Jesus Cristo. Maria nos aponta a fonte que é o próprio Deus. O pedido da Virgem aquele povo era o de construir ali uma Igreja. No entanto, Maria Santíssima anuncia que antes mesmo de edificar um espaço feito de pedras, é necessário erigir a Igreja, enquanto Povo de Deus, a comunidade viva, sabendo que cada cristão é um tijolo deste grande templo do Senhor, que chamamos de Igreja.

Nossa Senhora dos Prazeres é também chamada de Nossa Senhora das Sete Alegrias. Quando se escuta a palavra “prazeres”, deve se correlacionar com: alegrias, gozos, júbilos, ou seja, felicidade por alcançar algo de muita estima. Assim, compreendemos a associação que há entre os dois títulos de Nossa Senhora.

A devoção a Nossa Senhora das Sete Alegrias é de origem franciscana, pois segundo o que rege os ditos antigos sobre a “Coroa Franciscana”, afirma-se que tenha sido escrita por um frade franciscano. A “Coroa Franciscana” é uma espécie de terço franciscano, isto é, no terço comum contam-se cinco dezenas, na Coroa Franciscana são sete dezenas. As sete dezenas representam as alegrias de Nossa Senhora, que são: a anunciação do anjo a Maria, a visita de Maria a sua prima Isabel, o nascimento de Jesus, a visitação e adoração dos Reis Magos, o reencontro de Jesus no Templo quando ele conversava com os doutores da lei, o reencontro com seu Filho Ressuscitado e a coroação de Maria Santíssima no céu.

Nossa Senhora das Sete Alegrias – Nossa Senhora dos Prazeres nos aponto para a fonte que é o próprio Cristo. Jesus é a água viva. E é desta água viva que Maria deseja que seus amados filhos bebam e se regenerem.

Oração a Nossa Senhora dos Prazeres

 Nossa Senhora dos Prazeres, nossa Mãe querida, lembrando-me de vossas grandes alegrias: a Anunciação do Senhor, a visita à vossa prima Santa Isabel, o Nascimento do Menino Deus, a adoração dos Magos ao vosso Divino Filho, o encontro de Jesus no templo, a Ressurreição de Cristo e a vossa gloriosa Assunção, queremos pedir a vossa intercessão por nós e pelas nossas famílias junto a Deus. Que Ele nos livre das doenças e dos perigos, do desemprego e da desunião. Nossa Senhora dos Prazeres, ajudai-nos a sermos bons seguidores do vosso adorado Filho, lendo e refletindo a Bíblia Sagrada, alimentando-nos de Jesus na Eucaristia e participando ativamente de nossa comunidade. Queremos viver o mandamento do amor para com todos e caminhar em nossa vida dentro da justiça, colaborando para a construção da paz e da fraternidade. Amém!

Por Osvaldo Maffei

Referência Bibliográfica: FERRAZ, O. Maria, Mãe de Deus. Títulos que honram Nossa Senhora. Curitiba: Novo Mundo, 2003.