Highslide for Wordpress Plugin

Resgate da dignidade

140314_3CF-2014 alerta que pessoas não são mercadorias

“Identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”. Esse é o objetivo da Campanha da Fraternidade (CF) deste ano, que tem como tema: “Fraternidade e Tráfico Humano” e lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1).

As falsas promessas de um futuro promissor em outro país são, na maioria das vezes, as principais armadilhas utilizadas para a captura de pessoas, principalmente em situações de miséria. Para aliciá-las, os traficantes se aproveitam da vulnerabilidade econômica e social de muitas pessoas, especialmente em processo de migração.

Entre as modalidades mais comuns de tráfico de pessoas, estão: exploração do trabalho, exploração sexual, extração de órgãos e tráfico de crianças e adolescentes.

“As pessoas escravizadas sofrem muitas violências. É preciso denunciar. Esse crime é silencioso. Eu conversei com várias mulheres escravizadas que não percebiam que eram exploradas. O problema é muito sério. O crime organizado está organizado e nós, membros dessa sociedade, estamos organizados?”, questionou a pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa sobre Identidade (Nepi) do Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social (Pepgsso) da PUC-SP, professora Tania Teixeira Laky de Sousa, que é pós-doutoranda do programa, em recente evento sobre o tema, realizado na sede da Arquidiocese do Rio.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), existem 21 milhões de pessoas no mundo exploradas por esse tipo de tráfico: 74% adultos e 26% abaixo de 18 anos, sendo 55 % mulheres e 45 % homens. Os traficados de países da América Latina chegam a 1,8 milhão, 9% do total das vítimas no mundo.

“Vamos apoiar essa campanha para salvar vidas. Devemos ler o Texto-Base da CF-2014. É um documento muito simples, direto e objetivo que tem todas as informações que precisamos saber, enquanto cristãos. Devemos conversar mais sobre esse tema para abrir os nossos olhos e ficar atentos, especialmente nesses grandes eventos que estão chegando aqui”, alertou Tania.

Atitudes preventivas e concretas

Especialmente no período da Quaresma, a Igreja no Brasil incentiva os fiéis a se mobilizarem para, entendendo os riscos desse crime, tornar o tema mais conhecido e, consequentemente, evitar novos casos. Os livretos sobre o tema para os encontros comunitários podem ser adquiridos nas paróquias ou livrarias católicas.

No dia 13 de abril, Domingo de Ramos, haverá uma coleta nacional da solidariedade. Será um gesto de solidariedade em benefício das ações contra o tráfico de pessoas.

A avaliação sobre todo o trabalho desenvolvido acontecerá entre os meses de abril e junho, nos âmbitos: paroquial (21 de abril a 18 de maio), diocesano (19 de maio a 8 de junho) e regional (9 de junho a 30 de junho). O encontro nacional, com representantes dos regionais da CNBB, acontecerá em agosto.

temp_titleCF_2014_28012014150419Significado do cartaz:

O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na Cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos.

Relatos de tráfico humano

Em 2012, o Conselho Tutelar de Altamira, no Pará, denunciou a existência de uma rede de tráfico humano no município, onde aproximadamente 12 jovens eram forçadas a se prostituir em uma boate localizada próxima às obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. As jovens de Santa Catarina foram aliciadas com a promessa de uma renda de R$ 14 mil por semana, mas ao chegarem ao Pará foram mantidas em regime de cárcere privado, vigiadas por capangas armados. Elas ficavam trancadas em quartos sem ventilação e já chegavam devendo R$ 3 mil da passagem aérea.

Perfil dos aliciadores

Os aliciadores são, muitas vezes, pessoas que pertencem ao rol de amizades das vítimas ou de familiares. Alguns se apresentam como trabalhadores ou proprietários de casas de shows, bares, falsas agências de encontros, de matrimônios ou de modelos.

Objetivos específicos da CF 2014:

– Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos que sofrem com essa exploração;

– Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano;

– Cobrar dos poderes públicos políticas e meios para a reinserção na vida familiar e social das pessoas atingidas pelo tráfico humano;

– Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas em situação de tráfico;

– Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana;

– Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

Fonte: Texto-Base da CF-2014

Materiais de formação da CF 2014


Oração da Campanha da Fraternidade de 2014

Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo
e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados.
Fazei que experimentem a libertação da Cruz
e a ressurreição de Jesus.
Nós vos pedimos pelos que sofrem
o flagelo do tráfico humano.
Convertei-nos pela força do vosso Espírito,
e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos.
Comprometidos na superação deste mal,
vivamos como vossos filhos e filhas,
na liberdade e na paz.
Por Cristo nosso Senhor.
AMÉM!